Juros Simples x Juros Compostos
01/05/2017
Entenda a diferença entre as taxas SELIC Meta e Over
04/08/2017
Exibir tudo

O que é FGC e como funciona

Você sabia que a sua poupança tem a mesma garantia que praticamente qualquer investimento em renda fixa de bancos e financeiras muito menores que o seu “bancão”?

É claro que o porte e o risco de crédito da instituição deve ser levado em consideração, mas em caso de falência, todos são garantidos pelo FGC.

 

O que é

O FGC (Fundo Garantidor de Crédito) é uma associação civil, sem fins lucrativos, com personalidade jurídica de direito privado, que administra um mecanismo de proteção aos correntistas e investidores, que permite recuperar os depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira, até determinado valor, em caso de intervenção, de liquidação ou de falência.

Isso significa que caso um banco ou financeira venha a decretar falência, o FGC garantirá os valores investidos nesta instituição até o limite protegido.

 

Valor Protegido

O FGC garante atualmente até R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) por CFP e por instituição financeira. Isso significa que você pode ter, por exemplo, até 250 mil reais no Banco do Brasil e 250 mil reais no Banco Itaú, que em caso de falência dos 2 bancos, você receberá os 500 mil reais.

Se o valor em uma instituição ultrapassar o limite atual, você só receberá até 250 mil reais. E isso inclui o capital principal investido mais os juros até o momento da falência da instituição. Então muito cuidado em diversificar suas aplicações para não correr o risco de ultrapassar o limite e perder dinheiro.

Em caso de conta conjunta, independentemente da relação existente entre os titulares, terá garantia de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) dividido em partes iguais entre os titulares da conta.

 

Instituções Protegidas

São garantidos pelo FGC praticamente todos os bancos comerciais, bancos de investimento, bancos múltiplos, Caixa Econômica Federal e companhias hipotecárias.

A lista das instituições que possuem cobertura pelo FGC podem ser consultadas no site da instituição:

http://www.fgc.org.br/associadas/instituicoes-associadas

 

Quais créditos são garantidos

  • Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio;
  • Depósitos de poupança;
  • Letras de câmbio (LC);
  • Letras hipotecárias (LH);
  • Letras imobiliárias (LI);
  • Letras de crédito imobiliário (LCI);
  • Letras de crédito do agronegócio (LCA);
  • Depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado (CDB/RDB);
  • Depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes à prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares;

Títulos Públicos (tesouro direto) não são protegido pelo FGC. A garantia deles é o Tesouro Nacional do Brasil.

Fundos de investimentos também não são cobertos pelo FGC, pelo fato de serem entidades constituídas sob a forma de condomínios abertos.

 

Prazo de Pagamento

Segundo a própria instituição, não há como o FGC estipular um prazo para pagamento porque depende das informações que são passadas pelo Interventor ou Liquidante conforme for o caso. “Uma vez recebidas as informações e documentos o pagamento se inicia entre 10 a 15 dias”.

 

Conglomerados Financeiros

Uma informação importante e que poucos tinham conhecimento (até agora), é que o FGC cobre até o valor limite de R$ 250.000,00 para instituições associadas do mesmo conglomerado financeiro. Ou seja, se dois ou mais bancos se unem e formam um conglomerado, o investidor só estará garantido até o valor 250 mil reais somados nos dois bancos. Na prática, eles são como uma instituição única. Veja alguns exemplos:

Conglomerado Dacasa

  • Dacasa Financeira S/A – Sociedade De Crédito, Financiamento E Investimento
  • Uniletra Corretora De Câmbio, Títulos E Valores Mobiliários S.A.

Conglomerado Indusval

  • Banco Indusval S.A.
  • Guide Investimentos S.A. Corretora De Valores
  • Banco Intercap S.A.

Conglomerado Itaú

  • Itaú Unibanco Holding S.A.
  • Redecard S.A
  • Banco Itaubank S.A.
  • Microinvest S.A. Sociedade De Crédito A Microempreendedor
  • Banco Itauleasing S.A.
  • Banco Itaú Bba S.A.
  • Banco Itaucard S.A.
  • Hipercard Banco Múltiplo S.A.
  • Luizacred S.A. Sociedade De Crédito, Financiamento E Investimento

As instituições financeiras e seus conglomerados podem ser consultados no site do BACEN, através do link:
http://www4.bcb.gov.br/fis/cosif/rest/buscar-instituicoes.asp

 

Você sabia que sua poupança possuía a mesma proteção de outros investimentos em bancos menores? O que você acha disso? Comente abaixo.

Leandro Masotti
Leandro Masotti

Leandro Masotti é gaúcho e tem 31 anos.
Empresário, formado em Administração de Empresas com habilitação em Análise de Sistemas pela FSG.
Possui MBA em Gestão da Tecnologia da Informação pela UCS.
Acredita que quando se ama o que faz, não se trabalha um dia na vida.
Investidor desde adolescente, dedica seu tempo livre à educação financeira e incentivando as pessoas a investirem melhor.
Hobbies: games, viagens e vinhos.

4 Comentários

  1. José Carlos Flores disse:

    Excelente artigo. Uma dúvida: o que acontece se ocorrer uma fusão de duas instituições depois que eu apliquei nas duas?

    • Leandro Masotti disse:

      Olá José Carlos. Caso a fusão ou incorporação seja posterior ao investimento, e que o investidor não tenha a opção de retirar/resgatar seu investimento da instituição atual, os valores serão garantidos separadamente em cada uma das instituições de origem até que ocorra seu vencimento.

  2. ANTONIO VINNIE disse:

    Atualmente (10/05/2017), qual a reserva do FGC?
    Qual porte de banco que ele consegue fazer ressarcimento de todos os investidores?

    • Leandro Masotti disse:

      Olá Antônio,
      Até o último balanço divulgado no segundo semestre de 2016, o FGC possuía um patrimônio de 58 bilhões de reais. Esse valor seria suficiente para cobrir a quebra de bancos de pequeno e médio porte.
      Claro que é mais difícil de acontecer, mas se um banco de grande porte (BB por exemplo) quebrasse, seria um “Deus nos acuda”. Por isso recomendo a diversificação de investimentos e instituições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *