Entenda a diferença entre as taxas SELIC Meta e Over

O que é FGC e como funciona
08/05/2017
FAQ: Fundos de Investimentos Imobiliários (FII)
09/12/2017
Exibir tudo

Entenda a diferença entre as taxas SELIC Meta e Over

Sempre ouvimos falar sobre a taxa básica de juros do Brasil, a Selic. Mas a maioria das pessoas não sabe como ela é formada ou sua aplicação no dia a dia do sistema financeiro. O que confunde ainda mais, é o fato da taxa estipulada pelo Banco Central, oficialmente conhecida como Selic Meta, não ser a mesma taxa utilizada nas transações interbancárias, a Selic Over, que por sua vez é observada no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, também conhecido como SELIC.

 

A SELIC Meta

A SELIC meta, é basicamente uma META da taxa estipulada pelo Copom (Comitê de Política Monetária), nas reuniões que ocorrem 8 vezes ao ano. Nestas reuniões, os diretores do Banco Central discutem quais as perspectivas para a economia brasileira, como a inflação passada e esperada, crescimento econômico do País, câmbio, taxa de juro externa, nível de atividade e crédito, entre outras variantes. Em função destas discussões, decidem qual o nível ideal da taxa de juros do País – se ela deve ser elevada, reduzida, ou mantida. Ao final das reuniões, faz-se uma nota à imprensa e uma semana depois é publicada a ata com as deliberações e vetores observados.

 

A SELIC Over

A taxa SELIC Over, ou também chamada de taxa Overnight, é obtida a partir do financiamento no mercado interbancário lastreado em títulos públicos, sendo calculada diariamente. Estas operações são firmadas justamente no sistema SELIC, na forma de operações compromissadas.

Esta taxa surge da necessidade de financiamento de quem está comprando títulos públicos, e sua formação depende da lei da oferta e demanda por estes fundos. Quando há mais investidores para realizar os financiamentos, a Selic Over é menor, porém se há mais pessoas com carteiras de títulos para tomar dinheiro, ela sobe.

A taxa over é uma forma de expressar certa taxa de juros de um dia útil de forma anual na base 252 dias úteis no ano. Resumidamente, é a taxa média ponderada pelo volume das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e realizadas no SELIC, na forma de operações compromissadas. A taxa é expressa na forma anual (anualizada).

 

 

A influência do Banco Central (BC)

Existem dois tipos de mercado para os títulos públicos: primário e secundário. O primário envolve a compra de títulos por parte dos bancos; o secundário envolve o Banco Central. Quando o BC quer alterar a base monetária é preciso que ele realize operações de mercado aberto, ou seja, comprar e vender títulos no mercado secundário.

Teoricamente, o mecanismo é simples. Suponha que o BC queira expandir a base monetária, logo ele terá que comprar títulos no mercado aberto. Nesse caso, as reservas do banco que está vendendo os títulos aumentam, o que permite que ele conceda empréstimos mais baratos, ou seja, a juros menores no mercado interbancário. Como isso ocorre entre vários bancos simultaneamente, os juros interbancários caem, o que significa que a Selic Over cai também. O mecanismo para contração da base monetária é justamente o oposto.

 

SELIC meta x SELIC Over na prática

Quer dizer que o Banco Central determina uma meta para a Selic, mas não consegue determinar a taxa efetivamente formada no mercado?

Exatamente. Porque a taxa Selic meta é o que o Banco Central espera que vá acontecer nas transações interbancárias – em outras palavras, é, como o próprio nome diz, uma meta. Através de suas intervenções com as operações de mercado aberto, o BC consegue comprar e vender títulos no mercado secundário e, assim, influenciar as taxas de juros formadas nas transações entre os bancos.

Agora que entendemos como são definidas as taxas SELIC, vamos ver como elas funcionam na prática?

Historicamente podemos perceber que a SELIC over sempre fica um pouco abaixo da SELIC meta. Incrivelmente com uma diferença bem constante, em torno de 0.10 pontos percentuais. Enquanto escrevo este artigo, as taxas estão assim:

Selic meta: 9,25% aa
Selic over: 9,15% aa

Os títulos do Tesouro Direto, como o Tesouro SELIC, remuneram ao investidor 100% da taxa SELIC over, e não da SELIC meta. Isso é muito importante de se observar, para se fazer os cálculos de rendimentos corretamente.

E você, sabia que a taxa SELIC anunciada pelo COPOM não era a taxa efetiva que remunera seus títulos públicos? Ficou alguma dúvida sobre as diferenças? Deixe seus comentários abaixo.

Leandro Masotti
Leandro Masotti

Leandro Masotti é gaúcho e tem 31 anos.
Empresário, formado em Administração de Empresas com habilitação em Análise de Sistemas pela FSG.
Possui MBA em Gestão da Tecnologia da Informação pela UCS.
Acredita que quando se ama o que faz, não se trabalha um dia na vida.
Investidor desde adolescente, dedica seu tempo livre à educação financeira e incentivando as pessoas a investirem melhor.
Hobbies: games, viagens e vinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *